Início » Artigos » A Assistente retrata abusos na indústria do cinema
A Assistente retrata abusos na indústria do cinema

O filme, A Assistente, retrata abusos na indústria do cinema. A película é um drama norteamericano, dirigido por Kitty Green e tem como protagonista Jane (Julia Garner de Ozark).

Antes de abordar efetivamente o filme, é preciso dizer que o longa é inspirado no movimento internacional #MeToo – um movimento contra assédio ou agressão sexual, principalmente dentro do local de trabalho.

O que é o movimento #MeToo?

#MeToo Moviment

O movimento foi fundando em 1996, pela ativista negra Tarana Burke, e se popularizou em 2017 nas redes sociais, quando a atriz Alyssa Milano publicou em seu twitter um pedido para que todas que já tivessem sofrido assédio sexual usassem a hashtag #MeToo.

Alyssa fez isso após os escândalos com o produtor Harvey Weinstein.

Harvey Weinstein

Weinstein foi  fundador da Miramax e produziu filmes como Pulp Fiction: Tempo de Violência, O Paciente Inglês e Cold Mountain.

Ao todo, mais de 80 mulheres acusaram Weinstein de assédio sexual, insinuações ou estupro, muitas delas suas funcionárias diretas e atrizes como: Gwyneth Paltrow, Angelina Jolie, Cara Delevingne, Lea Seydoux, Rosanna Arquette, Mira Sorvino.

Tais acusações deram voz a esse movimento, onde mulheres de todo mundo vieram a público denúnciar conduta imprópria de homens poderosos.

A Assistente retrata abusos na Indústria do Cinema

Weistein não aparece em A Assistente e seu nome não é mencionado, mas a película de Kitty Green demonstra o cotidiano de quem vive sendo assediada em seu local de trabalho.

Jane (Julia Garner) sonha em ser produtora de cinema e consegue o emprego de assistente júnior com um poderoso produtor cinematografico.

Seu dia é parecido com o de qualquer outra assistente. Mas, à medida que Jane segue sua rotina diária, ela começa a perceber todos os abusos que envolvem seu ambiente de trabalho e sua posição profisisonal.

A Assistente retrata abusos na indústria do cinema explorando o assédio constante e o controle abusivo perpetrado pela figura sombria do seu chefe e os efeitos sob o psicologico da protagonista.

Canal de Denúncias como prevenção de casos de assédio

Canal de Denúncias

Infelizmente, estes casos não são incomuns e não acontecem apenas na indústria cinematografica.

Casos de assédio sexual no ambiente de trabalho são, infelizmente, um tema recorrente nas organizações brasileiras e internacionais.

Uma pesquisa realizada pelo vagas.com levantou que 52% dos entrevistados já sofreram assédio no trabalho.

Além disso, 87,5% das vítimas não denunciaram o assédio em função de não terem acesso a um sistema de canal de denúncias que garante seu anonimato.

O Canal de Denúncias é a ferramenta mais adequada para reduzir e prevenir assédio sexual e outros desvios dentro de sua empresa.

Saiba mais no artigo : Previna casos de Assédio Sexual em sua empresa.

Compartilhe: